para o alto e avante

Sofá lindo e maravilhoso daqui. Mas que eu não poderei comprar devido à história que eu conto abaixo… (pelo menos aprendi, né?)

Voltei, voltei, depois do meu silêncio (digamos que foram férias de Carnaval prolongadas, ok?). Mas voltei com a corda toda, cheia de novos projetos e novas ideias que  vão movimentar (e muito) o DECORACASAS.

E voltei já perguntando, questionando porque é sempre assim que evoluímos nesta vida.
Estava olhando várias lojas de móveis nos últimos dias, apaixonando-me por alguns deles e (para variar) sonhando sempre mais um pouco. Mas como a realidade é quem dita as regras temos que ficar sempre atentas à ela.
O caso abaixo é uma releitura de algo que aconteceu comigo: quando comprei minha mesa da sala de jantar (que também aparece aqui) fui feliz e faceira à loja e escolhi um modelo bem lindo, com 2,10m de comprimento aproveitando ao máximo o espaço que tenho. Bacana, né? Mas… a realidade chama, sempre.
Eu moro no vigésimo andar e havia esquecido de medir o elevador antes da minha compra… fui pouco “perspicaz”e quando a mesa chegou ela simplesmente não passava por ele. O vão da porta (altura) era de 2,00 m o que inviabilizou a entrada da mesa.
Subir pelas escadas? Sim, poderia ser uma opção se eu me dispusesse a pagar três vezes o valor que desembolsei pela mesa na época.
Içamento? Também é possível, mas um custo adicional e altamente variável com o andar onde você se encontra (Eu tenho trauma: quando eu morava em outro apartamento, no quarto andar, tive que içar um móvel. Passei tanto nervoso, com medo de que ele caísse que prometi para mim mesma nunca mais fazer isto novamente. Se quando eu morava no quarto andar tinha decidido nunca mais içar nada, agora que estou no vigésimo andar, nem pensar! )
Minha solução? Voltei à loja e troquei a mesa por um modelo de 2,00m para poder, finalmente, ir para o alto e avante (como o Super Homem).
Hoje, relembrando esta história, comecei a pesquisar oráculo afora se haviam regras práticas para calcular o espaço disponível em elevadores. Não achei nada de conclusivo, muitos “verifique o tamanho do seu elevador e suas escadas antes de comprar“. E por isto recorri à norma técnica NBR13994 para trazer estas imagens e tentar colocar alguma luz sobre o tema. Algumas ideias que partilho aqui:
É importante que você tenha todas as dimensões do elevador em seu poder antes de decidir pela compra de algum móvel. Então, trena à mão e meça:
  • altura e largura do vão da porta
  • dimensões internas da cabine do elevador (em geral, são maiores do que o vão)
  • altura da cabine
Imagine qual pode ser o ângulo que você pode girar o móvel ou incliná-lo dentro da cabine. Estas manobras são as preciosas para fazer com que tudo caiba de forma adequada.
Verifique também com o síndico ou zelador a possibilidade de remoção de algum acabamento do teto da cabine, o que pode lhe render alguns preciosos centímetros a mais de folga.
Também agende com o condomínio a entrega do seu móvel. Imagina se seu sofá branquinho e lindo chega à sua casa justamente no dia que o vizinho de cima está descarregando entulho pelo mesmo elevador?
Alguma ideia adicional?
Aceito muitas sugestões!
Beijo grande

Flávia Ferrari

Engenheira E “dona de casa profissional” Abandonou uma carreira executiva para dedicar-se à maternidade e à vida doméstica e percebeu que havia um hiato de conhecimento sobre o tema. Começou a registrar todas as suas descobertas em seu site, FLÁVIA FERRARI, que gerou vários desdobramentos: revistas e programas de TV aberta e fechada. Sua mais nova empreitada é o canal A Dica do Dia no YouTube, onde posta vídeos com pequenas dicas domésticas todas às terças e quintas.
Flávia Ferrari

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE