meu limão, meu limoeiro

Esta lindinha é a flor do limão tahiti.
Eu, honestamente, não a conhecia – até que eu ganhei um pé de limão para chamar de meu. Alegria pura, casa com jeito e aroma de casa, sonho de consumo são alguns adjetivos que chegam com as árvores frutíferas.
Eu me senti assim – mas depois meio frustrada. As tais das flores, um dia depois de abrirem esplendorosas, murchavam – e eu que já imaginava uma árvore repleta de frutos ficava a ver navios.
Vim para o oráculo fuçar e saí sem resposta convincente.
Li que devo esperar a árvore enraizar bem, mas sem garantia de frutos.
Li que para ter um limoeiro devemos ter fé.
Li que precisam de 6 horas diárias de ensolação e água abundante, mas sem encharcar.
Li uma poesia que tratava do limoeiro como uma pessoa teimosa, que teimava em dar frutos.
Mas continuo sem respostas – e agora, sem flores.
Alguém tem uma luz para mim?
Beijo grande

Flávia Ferrari

Engenheira E “dona de casa profissional” Abandonou uma carreira executiva para dedicar-se à maternidade e à vida doméstica e percebeu que havia um hiato de conhecimento sobre o tema. Começou a registrar todas as suas descobertas em seu site, FLÁVIA FERRARI, que gerou vários desdobramentos: revistas e programas de TV aberta e fechada. Sua mais nova empreitada é o canal A Dica do Dia no YouTube, onde posta vídeos com pequenas dicas domésticas todas às terças e quintas.
Flávia Ferrari

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE