panela de pressão elétrica

panela de pressão elétrica

 

Quando eu publiquei que tinha medo de panela de pressão fiquei surpresa com a quantidade de comentários que recebi de gente se solidarizando comigo. Foi assim que descobri que o trauma não era só meu e que este assunto merecia mais espaço. No início do ano eu me encontrei com minha amiga Cibele e ela disse que a melhor coisa que ela tinha comprado nos últimos tempos era uma panela de pressão elétrica. Este gancho era  tudo o que eu precisava para continuar minha investigação “pressionada”.

Entrei em contato com a Electrolux e propus um teste da panela de pressão elétrica deles, a Chef. Eles toparam – \o/ –  e, assim, pude fazer alguns testes preliminares para dividir minhas impressões aqui.

A primeira coisa é que a panela de pressão elétrica impressiona pelo “porte”. Antes de me aventurar a fazer qualquer coisa, li e reli o manual de cabo a rabo – afinal de contas, o receio em “pilotá-la” ainda existia. Mas desta forma descobri que a panela elétrica de pressão tem 7 dispositivos de segurança contra 3 da panela de pressão convencional (ponto para ela – deixa a gente mais segura mesmo!). A capacidade da panela elétrica de pressão também é maior (6 l) do que a minha convencional (4,5l). Os cuidados de colocação de um volume mínimo e máximo de líquido durante o cozimento sob pressão são semelhantes, porém a panela elétrica oferece outras funções de preparo (fritar, cozinhar, refogar, função molho, manter quente) além da pressão. A diferença de preço entre o modelo elétrico e o convencional fica entre  2,5 a 3 vezes mais; diferença que eu considero razoável pela diferente tecnologia presente em cada uma delas.

Características desvendadas, vamos aos testes! Para este primeiro movimento, optei por receitas/preparos que já tinha feito antes para ter um bom parâmetro de comparação.

panela de pressão elétrica

O primeiro teste foi o “Milho Cozido Perfeito”, com todos os truques que aprendi com a Tati do Panelaterapia e que viraram “padrão de milho delicioso” aqui em casa. O processo consiste em cozinhar as espigas já limpas em água misturada com uma colher rasa de açúcar por 10 minutos na pressão, esperar a pressão sair naturalmente e depois finalizar  por mais 10 minutos sem pressão, acrescentando duas colheres de sopa de sal à água. Este seria o primeiro teste da panela de pressão elétrica.

Limpei as espigas e coloquei-as no recipiente antiaderente de cozimento, com água e açúcar. Fechei a tampa e programei a pressão para 10 minutos – e notei que o contador só começa a funcionar quando se atinge o nível adequado de pressão interna (o que é o correto, pois quando lemos qualquer receita que especifique o tempo de cozimento sob pressão este só vale a partir do momento que a panela atinge a pressão e a válvula começa a soltar vapor). Ao final dos 10 minutos, um sinal sonoro alerta do fim e, imediatamente, a panela migra para o modo “Manter Aquecido”.  Aguardei a saída  natural da pressão para abrir a tampa – quando a válvula vermelha da tampa abaixa mostra que este procedimento é seguro – adicionei as duas colheres de sal à água e programei os 10 minutos adicionais de cozimento  no modo “Cozinhar” e deixei o timer correr.  Ao final dos 10 minutos, um novo sinal sonoro e um perfume  delicioso de milho verde cozido pela casa. O sabor e a textura eram iguais ao milho cozido na panela de pressão tradicional.

Resumo deste teste: eu me senti como se estivesse cozinhando com a panelinha mágica do conto “A Boa Sopa” dos irmãos Grimm: bastava apenas programar a panela de pressão elétrica para que ela desse conta – sozinha – da tarefa, me liberando para realizar outros preparos ou cuidar de assuntos fora da cozinha. A função de programar o tempo nos dá liberdade para cuidar de mais de uma tarefa ao mesmo tempo, garantindo total segurança. Aprovado!

O próximo teste eu já decidi: será com risoto. Vamos ver como este prato, que eu tanto faço, se comportará pressionado. 😉

Beijos,

flavia

Flávia Ferrari

Engenheira E “dona de casa profissional” Abandonou uma carreira executiva para dedicar-se à maternidade e à vida doméstica e percebeu que havia um hiato de conhecimento sobre o tema. Começou a registrar todas as suas descobertas em seu site, FLÁVIA FERRARI, que gerou vários desdobramentos: revistas e programas de TV aberta e fechada. Sua mais nova empreitada é o canal A Dica do Dia no YouTube, onde posta vídeos com pequenas dicas domésticas todas às terças e quintas.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE

COMO DEIXAR A PANELA DE INOX BRILHANDO 2 DICAS PARA LIMPAR O MICRO-ONDAS COMO LIMPAR A GARRAFA TÉRMICA 5 DICAS RÁPIDAS PARA FAZER EM CASA RECEITA DE SMOOTHIE REFRESCANTE COMO TIRAR CHEIRO RUIM DE ROUPA DICA DE AROMATERAPIA PARA DORMIR MELHOR COMO CUIDAR DE ORQUÍDEAS COMO CONSERVAR AS BANANAS POR MAIS TEMPO COMO DOBRAR TOALHA DE BANHO EM ROLINHO
COMO DEIXAR A PANELA DE INOX BRILHANDO 2 DICAS PARA LIMPAR O MICRO-ONDAS COMO LIMPAR A GARRAFA TÉRMICA 5 DICAS RÁPIDAS PARA FAZER EM CASA RECEITA DE SMOOTHIE REFRESCANTE