herança

Por mais evoluída que seja a arte de cozinhar, por mais apetrechos modernos, tecnológicos e siliconizados que apareçam, uma colher de pau é sempre necessária.

Sim, já ouvi dizer que nela podem se acumular bactérias e outros maus elementos.
Sim, ela fica queimada com o uso.
Mas para mim ela é lei.
De quando em quando, assistindo a programas de culinária ouço a televisão dizer: ” Agora, pegue uma colher de pau…” (e aí acho que não sou a única que penso assim)

Não sou gourmet profissional nem chef, apenas me arrisco em receitas que me seduzem.
Cada vez mais me sinto encantada pelo fogão, seus aromas e temperos e seus recheios doces.
E por isto tenho uma lata cheia de colheres de pau – e uma de bambu (mais “moderna“, digamos assim) – postada entre a pia e o fogão – o feng shui diz que é preciso ter a madeira entre a água e o fogo para que esta não apague a prosperidade (tem uma postagem linda da Hazel a respeito) .


Também me lembro de uma história que presenciei, com uma amiga da minha mãe. 
Ela havia casado com um senhor viúvo e assumido os três filhos do casamento anterior antes de ter sua cria “própria”. O tempo passou entre turbulências e bonanças – como a vida de todos nós – e em uma determinada altura do campeonato a filha mais nova decidiu tomar as rédeas da vida em suas próprias mãos e foi morar junto com o então namorado. 
A família ficou escandalizada, em especial a tal amiga da minha mãe. 
Em uma confusão de sentimentos, na saída da moça, a madrasta a presenteou com a colher de pau da mãe da menina para que ela estabelecesse sua casa e sua cozinha no alicerce da tal colher.
Achei simbólico e sempre fico com esta história em minha cabeça.

Tanto que logo que pude, fui à casa do meu pai roubar a colher de pau preferida da minha mãe.

Eu a trouxe aqui para casa, para dar um toque de família aos meus pratos, apesar de deixá-la quase cem por cento do tempo nas mãos da cozinheira.

Hoje, para preparar a postagem, roubei a colher novamente.

Da cozinha para o meu escritório.
E aqui ela ficará.

Com seu cabo curto, seus riscos e seus queimados, marcas da sua história.

Só sai para preparar pratos comigo, porque dela saem os melhores brigadeiros do mundo (aqueles que estão em minha memória afetiva).
E porque ela é minha herança, de fato e de direito.
Beijoca.

Flávia Ferrari

Engenheira E “dona de casa profissional” Abandonou uma carreira executiva para dedicar-se à maternidade e à vida doméstica e percebeu que havia um hiato de conhecimento sobre o tema. Começou a registrar todas as suas descobertas em seu site, FLÁVIA FERRARI, que gerou vários desdobramentos: revistas e programas de TV aberta e fechada. Sua mais nova empreitada é o canal A Dica do Dia no YouTube, onde posta vídeos com pequenas dicas domésticas todas às terças e quintas.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE

  • adoro…adoro… ...muro de pedra!
  • MISTURA CASEIRA PARA TIRAR LIMOMISTURA CASEIRA PARA TIRAR LIMO Qual é o maior desafio de limpeza para você? Para muitas pessoas é tirar o limo dos […]
  • CymbidiumCymbidium Maio é mês de... cymbidiuns! Viva!Ganhei este exemplar de uma das moças que trabalha […]
O QUE FAZER PARA ACABAR COM AS FORMIGAS COMO EVITAR BOLINHAS NAS ROUPAS COMO TER ARROZ SEMPRE FRESCO E SOLTINHO PARA O ALMOÇO COMO LIMPAR ESPELHOS DICAS DE COMO LIMPAR LÂMPADAS COMO REGAR AS PLANTAS DURANTE UMA VIAGEM COMO TIRAR CHEIRO DE CIGARRO DAS ROUPAS COMO LIMPAR COLCHÃO EM CASA COMO TIRAR CHEIRO DE CHULÉ DOS SAPATOS COMO TIRAR MANCHA DE ACETONA EM MADEIRA
O QUE FAZER PARA ACABAR COM AS FORMIGAS COMO EVITAR BOLINHAS NAS ROUPAS COMO TER ARROZ SEMPRE FRESCO E SOLTINHO PARA O ALMOÇO COMO LIMPAR ESPELHOS DICAS DE COMO LIMPAR LÂMPADAS