flores no teto

A sala da casa de campo tem um pé direito alto. Altíssimo! 6 metros de puro vão e deleite – admito que foi uma das coisas que mais gostamos na casa quando entramos.

Que luz! Que sensação de liberdade, de espaço! Que claridade!!!! Até que nos demos conta de que… ainda não havia lustres e que, um belo dia teríamos que iluminar a tal sala. Como fazer?

Começo contando esta parábola-anedota muito verdadeira para pensar sobre algumas coisas a respeito de construção e decoração.

Sempre pensamos em decoração como algo que agrada aos olhos e encampa nossos sonhos mais queridos. Ilha na cozinha, parede com textura, pé direito duplo, bay window e o que mais possa calhar. Acho tudo muito válido e bacana – sonhar é legal, é necessário e é também uma válvula motora da nossa vida.  Mas junto do sonho é super importante verificar com cuidado a implantação, o como fazer.

Porque para que o sonho vire realidade tem muito suor, sal, tijolo e cimento no meio do caminho 🙂

Como foi o caso dos meus lustres. Nossa sensação de alegria ao adentrar na sala com o pé direito duplo jamais levou em consideração o lado operacional para trocar as duas “perinhas” originais da construção pelos lustres que escolhemos.

Vamos ilustrar o problema? Olha a sala aí, quando comprei a casa:

Linda, ampla, um super visual. Agora, operacionalmente, posso listar dois “problemas”? Além da super altura para o lustre, reparem no tamanho da janela.

Super janela = super cortina.

E a super cortina exige um planejamento/investimento pensado. Além de, depois de instalada, uma manutenção cuidadosa – com uma escada à altura para fazer com que a limpeza aconteça, não é mesmo?

E para colocar os lustres, qual foi a saída? Montagem de um andaime no meio da sala e muito cuidado com o eletrecista que subiu no tal andaime (ai que medo que ele pudesse cair!!!)

Mas vamos lá: este não é um texto de reclamação. Gosto muito da sala com o pé direito alto e continuo com a sensação de espaço, liberdade, etc… O ponto aqui é a implicação desta escolha:  um andaime no meio da sala para instalação e uma escada bem alta com frequência para manutenção (já pensou se a lâmpada queima?)

Ou seja, é sempre bacana pesar as conseqüências de nossas escolhas em obras e projetos, pois, como na vida, temos que conviver com elas por um longo período de tempo.

Beijo grande

PS: os lutres são do IKEA – são inspirados em um dente de leão. Namorava este modelo há um tempão…. e para colocar algo tão grande assim precisava mesmo de uma sala com o pé direito alto. 😉

Flávia Ferrari

Engenheira E “dona de casa profissional” Abandonou uma carreira executiva para dedicar-se à maternidade e à vida doméstica e percebeu que havia um hiato de conhecimento sobre o tema. Começou a registrar todas as suas descobertas em seu site, FLÁVIA FERRARI, que gerou vários desdobramentos: revistas e programas de TV aberta e fechada. Sua mais nova empreitada é o canal A Dica do Dia no YouTube, onde posta vídeos com pequenas dicas domésticas todas às terças e quintas.
Flávia Ferrari

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE