Baú de memórias

Acredito que tudo na nossa vida é memória.
O tempo corre e o que guardamos de especial fica em nossa mente e nosso coração.
Por este motivo gosto de me cercar de coisas que remetam à pessoas e acontecimentos queridos.
Na minha casa é assim.
Algumas das peças que estão por aqui – e que agora divido com vocês – passaram por momentos especiais com pessoas da minha família. Não estou remetendo de modo algum às peças quatrocentonas, que passam de geração em geração, com orgulho e nobreza.
Falo de coisas simples, que podem ter uma ligação mais emocional do que estética ou monetária.
É assim…
Hoje estou filosófica… mas com o coração super aquecido.

Um beijo e bom dia!

Detalhe: meu pai sempre brincou que se casou com a minha mãe pensando que havia um grande tesouro dentro deste baú. Passados alguns anos acredito que ele realmente encontrou um tesouro. Só não era monetário…

Flávia Ferrari

Engenheira E “dona de casa profissional” Abandonou uma carreira executiva para dedicar-se à maternidade e à vida doméstica e percebeu que havia um hiato de conhecimento sobre o tema. Começou a registrar todas as suas descobertas em seu site, FLÁVIA FERRARI, que gerou vários desdobramentos: revistas e programas de TV aberta e fechada. Sua mais nova empreitada é o canal A Dica do Dia no YouTube, onde posta vídeos com pequenas dicas domésticas todas às terças e quintas.
Flávia Ferrari

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE

  • quadros de azulejosquadros de azulejos Nas férias de julho meu pai construiu uma casinha de bonecas para minha pequena. Foi uma […]
  • das antigas…das antigas… Bom dia a todos! Tudo bem?Há um tempinho, mandei uma pergunta sobre objetos antigos […]
  • hall naturalhall natural Efeito colateral da festa do maridex. Tirei a Dracena Ornamental da sala de jantar para […]
  1. Nôssa!Mt lindo este baú, cheio de histórias e marcas do tempo…sou apaixonada por estas relíquias.
    Adorei seu blog.

    abs
    Mone

  2. Flávia disse:

    Mone,
    obrigada pela visita e pelo comentário carinhoso.
    Este baú tem história mesmo, veio com a família da minha mãe quando eles imigraram para o Brasil. Tenho um xodó imenso por ele – tanto que para onde eu vou, ele vai junto!
    Beijo