ora bolas

(pilhas de papel de seda que fazem parte dos meus trabalhos & devaneios)
Quem passeia por blogs de culinária por aí com certeza já se deparou com o termo “comfort food“. Ele virou um termo bonitão para designar o que a gente já conhece há tempos. Quer ver?
“A comfort food é a comida emocional – desperta sensações agradáveis e evoca o prazer e o bem-estar ligado à infância, à história de vida.” (fonte: The Top Tips)
“Quem inventou a comfort food? Bom, eu tenho certeza de que foi minha bisavó, que contou todos os segredos para a minha avó, que ensinou minha mãe…” (fonte: Comidinhas)
É aquela sopinhas de feijão, aquele bolo de fubá, bolinhos de chuva da avó… todas aquelas coisas boas que remetem às mais deliciosas lembranças da infância.
(as pequenas sapatilhas da minha pequena)
Então pus os neurônios a matutar com a seguinte pergunta: qual é o paralelo da comfort food para a decoração? O que acalenta e acalma, o que transforma sua casa em um ninho? Podemos falar em comfort home?

(meus pinguins by Ana Sinhana)
Aí vamos pelo caminho de que as memórias e reminiscências são íntimas e pessoais, mas há algumas coisas em comum, pairando no inconsciente coletivo. Estas sim – buscadas a tapa e caras pesquisas pelas mais variadas empresas – dão aquele laço de unidade à humanidade.
(Os jogos de refratários foram minha última aquisição… resisti bravamente, mas semana passada me rendi, né Fátima? Da Gamela)
Aparecem.
Assim, como passe de mágica.
Espontâneas e acomodam-se tão bem que não nos damos conta de quão arraigadas estão em nossa mente  e quantos objetos estão presentes em nosso dia a dia.
Tudo isto para chegar nas bolinhas.
Tão redondas, tão simples, tão presentes.
E toda vez que aparecem vem junto com um suspiro “ai, que fofo!”
E quer saber como eu me dei conta de tal paixão?  De como estas pequenas estampas eram para mim sinônimo de comfort home?
Quando apresentei a fotografia acima  como referência para a minha cliente da reforma e vi o mesmo suspiro partindo dela. Ou seja, quando a gente olha de fora enxerga melhor.
E aí, conta para mim: quais são as suas paixões? O que torna a sua casa confortável?
Beijoca

PS: para ver como a questão é mesmo sentimental até o título da postagem foi resgatado da infância. Era minha mãe quem vivia dizendo por aí “ora bolas…”

Flávia Ferrari

Engenheira E “dona de casa profissional” Abandonou uma carreira executiva para dedicar-se à maternidade e à vida doméstica e percebeu que havia um hiato de conhecimento sobre o tema. Começou a registrar todas as suas descobertas em seu site, FLÁVIA FERRARI, que gerou vários desdobramentos: revistas e programas de TV aberta e fechada. Sua mais nova empreitada é o canal A Dica do Dia no YouTube, onde posta vídeos com pequenas dicas domésticas todas às terças e quintas.
Flávia Ferrari

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE

  • uma panela laranja e a volta ao iníciouma panela laranja e a volta ao início Sou uma pessoa que adora programa de fidelidade. Acho mágico ganhar pontos, milhas e […]
  • dia dos namoradosdia dos namorados Já passei muitos dias dos namorados angustiada, sozinha e de bode. (E no dia seguinte, […]
  • a menina…a menina… ...vai comprar mais organizadores de revista e volta para casa com uma caixinha singela […]