uma questão de arranjo

antes1

 

 

Uma das primeiras “providências” que tomei ao comprar a casa de campo foi transferir minhas orquídeas para lá.  Já tinha passado por ataque de cochonilhas, períodos de poucos cuidados e otras cositas desagradáveis. Não digo que cuidar de orquídeas em apartamentos seja uma tarefa impossível – eu mesma, cuidei de várias por anos fazendo-as florescer.  Mas não há como negar que ao ar livre, sentindo a água da chuva cair de quando em quando elas ficam muito melhor – e mais felizes!

Bom, tudo isto para dizer que os vasos foram logo, todos em várias e várias idas. Os que antes ficavam na sacada foram acomodados no painel de madeira do fundo da casa com pequenos ganchos e confesso que considerei o arranjo mais do que perfeito: não precisava furar nenhuma parede e poderia por e tirar os vasos ao meu bel prazer. Parecia perfeito até julho deste ano…

Na festa de aniversário do pequeno, coloquei vários pufes no jardim para que as pessoas pudessem sentar-se e curtir o sol do lado de fora da casa. Mas foi aí que eu percebi que o meu tal arranjo dos vasos no painel era extremamente inadequado.

As pessoas passavam por ali e esbarravam nos vasos, eles balançavam e, em alguns casos, as plantas quebravam. Triste, chato – mas fruto de  mal planejamento.  Quando temos a casa montada para o nosso dia a dia, com certo controle sobre os nossos atos (e crianças) não vemos algumas falhas de planejamento. Diagnóstico feito, novo arranjo proposto para solucionar o problema.

Aí sim, envolvendo brocas e furadeira (eba!)

depois1

Retirei a fileira mais baixa dos vasos, aquela que atravancava a passagem e a transferi para a parede lateral, criando um arranjo mais longo e alto. Acredito que funcionou – tirarei a prova dos nove no aniversário da pequena que está por vir. Mas com  as flores, assim como na vida, vemos que tudo é uma questão de arranjo.

Ajeitamos daqui e de lá para poder ter uma vida mais harmônica, mais florida, mais completa. Dá trabalho mental e físico realizar o “arranjo”, mas no final vale a pena.

depois2

E, aproveitando o gancho das fotos do antes e depois, não posso deixar de comentar que os vasos de terracota ganharam musgos com o passar do tempo, mas também que as plantas estão muito mais viçosas e floridas, se comparadas às fotos de Abril de 2012. É gostoso ver este registro de mudanças  para a melhor.

Lembram-se de quando escrevi que “para haver mudança era necessário desprendimento“? A postagem  também foi motivada por orquídeas, mas trazia uma boa dose de história pessoal.  Aproveito o tema florido de hoje para mostrar como estão as tais plantas do desapego e comprovar que mudar faz bem (para ver as fotos do antes, clique aqui)

depois3

depois4

E, para mim, fica a inspiração para hoje e para a nossa semana- que por acaso chega com o início da primavera:

“Quando vamos para o lugar correto, florescemos.”

Um beijo!

depois5

Flávia Ferrari

Engenheira E “dona de casa profissional” Abandonou uma carreira executiva para dedicar-se à maternidade e à vida doméstica e percebeu que havia um hiato de conhecimento sobre o tema. Começou a registrar todas as suas descobertas em seu site, FLÁVIA FERRARI, que gerou vários desdobramentos: revistas e programas de TV aberta e fechada. Sua mais nova empreitada é o canal A Dica do Dia no YouTube, onde posta vídeos com pequenas dicas domésticas todas às terças e quintas.
Flávia Ferrari

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE